Gestão de tributos e planejamento tributário: qual a diferença entre eles?

Assim que uma empresa entra em funcionamento, o gestor já encontra no caminho uma importante decisão: a escolha do regime tributário adequado ao tipo de atividade e porte do seu negócio.

Uma opção mal feita pode levar a uma apuração e recolhimento de impostos inadequada, sinalizar sonegação fiscal diante do Fisco e comprometer seriamente a saúde financeira da organização.

No entanto, escolher o melhor regime tributário que vá de encontro às necessidades do negócio não é a única preocupação, é preciso gerenciar todos os tributos recolhidos, de forma que não impactem a operação da empresa.

Mas você sabe qual a diferença entre gestão de tributos e planejamento tributário? Acompanhe nosso post de hoje e esclareça suas dúvidas!

O que é a gestão de tributos?

Os tributos incidentes sobre as operações de uma empresa representam uma fatia significativa da receita auferida. Isso sugere que controlar e gerenciar com eficiência a apuração e o recolhimento de tributos são passos fundamentais para qualquer organização.

Uma gestão de tributos ineficiente leva a empresa a pagar mais do que precisa e ainda correr o risco de pagar errado, com atrasos ou prestação incorreta de informações.

Mas como manter uma gestão de tributos eficiente? Vejamos:

Compreenda as necessidades da empresa e o cenário em que ela se encontra

O primeiro fator que deve ser entendido para uma gestão de tributos eficiente é que todo impacto tributário gerado sobre a empresa será em função das atividades que ela exerce.

Assim, é fundamental que, ao definir o CNAE, o empreendedor saiba exatamente a atividade realizada pela empresa, já que é por meio dessa definição que o governo aplicará as alíquotas e calcular os tributos.

Planejamento é a chave do sucesso na gestão de tributos

Não existe uma outra forma de gerir com eficiência os tributos incidentes sobre o negócio do que um bom planejamento tributário. É por meio dele que o gestor poderá avaliar qual o modelo tributário mais econômico e quais as possibilidades de redução da carga tributária.

Vale destacar que um planejamento tributário bem feito possibilita uma gestão de tributos precisa sobre o valor que a empresa desembolsa com impostos. Além disso, avaliar o quanto a empresa gasta com tributos é uma ótima oportunidade de reduzir gastos, sendo diminuindo uma alíquota ou na mudança da base de cálculo.

O que é o planejamento tributário?

O planejamento tributário está centrado em definir estratégias para um gerenciamento correto de tributos. Isso leva a pensar que para uma gestão de tributos eficiente é fundamental ter um planejamento tributário correto e adequado ao tipo de negócio.

O contribuinte pode utilizar de dois caminhos no processo de planejamento tributário:

  • elisão fiscal: consiste em estruturar um planejamento tributário com foco numa gestão eficiente de tributos utilizando de meios que a lei permite;

  • evasão fiscal: consiste em estruturar um planejamento tributário com foco na redução do pagamento de tributos de forma ilícita, ou seja, na ilegalidade.

Assim, a longevidade e o sucesso de um negócio estão diretamente relacionados ao caminho que o gestor escolhe para estruturar seu planejamento tributário. Em uma escolha incorreta, o fracasso pode ser inevitável.

De forma geral, há três tipos de regimes de tributação:

  • Simples Nacional: regime simplificado aplicado a empresas com faturamento de até R$ 3.600.000,00. É um regime que oferece alíquotas reduzida devido à união de oito tributos e contribuições numa única guia: ICMS, CSLL, PIS, Cofins, IPI, ISS, IRPJ e, em alguns casos, INSS patronal.

  • Lucro Real: regime obrigatório para empresas com faturamento superior a R$ 78 milhões. Nesse caso, as alíquotas são calculadas com base no lucro real, ou seja, receitas menos despesas.

  • Lucro presumido: qualquer empresa pode utilizar deste regime tributário, com exceção das empresas obrigadas ao Lucro Real. Neste caso, o IRPJ e a CSLL incidem sobre a alíquota definida pela Receita Federal.

Para um planejamento tributário eficiente é fundamental que o empreendedor tenha todas as informações do seu negócio organizadas, como:

  • previsão de faturamento;

  • custo da folha de pagamento;

  • margem de lucro

  • previsão de despesas operacionais etc.

Apenas com tais dados em mãos será possível comparar as informações entre os regimes tributários e direcionar a uma escolha adequada quanto ao enquadramento correto da empresa.

Este conteúdo foi útil? Complemente sua leitura com esse nosso outro material Conheça as principais etapas de um planejamento tributário”.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *